Um bairro feito para a classe média

No dia 16 de dezembro de 1992, o bairro de Águas Claras foi legalmente implantado na Região Administrativa de Taguatinga. Seu terreno foi fixado em uma região de chácaras onde nasce o Córrego Águas Claras, que abastece o Lago Paranoá. Daí originou-se o nome daquela nova região.

Águas Claras em 1991

Planejada pelo arquiteto e urbanista Paulo Zimbres, tinha o objetivo de ser um bairro com a mesma qualidade de vida do Plano Piloto, mas com valores de imóveis mais acessíveis. Outra particularidade é que Águas Claras foi planejada juntamente com o projeto do metrô, justamente para que os moradores dali deixassem o carro em casa e utilizassem mais o transporte público.

O projeto original de Zimbres previa prédios de, no máximo, 12 andares. Mas, por pressão das construtoras, o GDF mudou as regras e permitiu edifícios de até 30 andares, o que aumentou a densidade populacional e atrapalhou o planejamento urbano. As consequências disso são sentidas atualmente, com grandes engarrafamentos e falta de acessibilidade em muitos lugares.

Governador Roriz com a placa que marcou o início das obras em Águas Claras, em 1993

A partir de 1993, houve intensa campanha publicitária conceituando Águas Claras como um bairro feito sob medida para a classe média do Distrito Federal. O primeiro edifício lançado foi o Residencial San Marino, feito pela Encol, construtora que faliu, em 1999, depois de se envolver em diversas irregularidades.

Outdoor anunciando Águas Claras em 1993

Dos 808 hectares de Águas Claras, 403 ficaram reservados para áreas verdes. A Natureza também inspirou a designação de suas avenidas e alamedas, que receberam o nome de árvores (Castanheiras, Araucárias, Flamboyant, entre outros), enquanto as praças foram batizadas como pássaros (Pardal, Beija-Flor, Tiziu etc.).

O crescimento foi bastante acelerado e, em 2003, Águas Claras deixou se ser uma extensão de Taguatinga para tornar-se uma Região Administrativa do DF. A cidade conta, atualmente, com mais de 160 mil habitantes e continua sendo um dos maiores canteiros de obras do Brasil. São 722 edifícios construídos, 143 em construção e 277 lotes ainda vazios.

Veja o vídeo:

6 comentários em “Um bairro feito para a classe média

  1. Eu amo Águas Claras!
    Morei a vida inteira no Guará e, quando me casei, vim morar no apartamento que meu marido já residia e me adaptei imediatamente.
    O trânsito é bem intenso, mas hoje em dia, nos horários de pico, todos os lugares são.
    O melhor daqui é que só preciso sair pra trabalhar. A estrutura é maravilhosa! Temos shoppings, supermercados, escolas, bares, restaurantes, lanchonetes, clínicas… Acredito que poderia melhorar com uma unidade de saúde e uma escola, ambas públicas.

    Curtir

  2. O projeto original de Zimbres previa prédios de, no máximo, 12 andares. Mas, por pressão das construtoras, o GDF mudou as regras e permitiu edifícios de até 30 andares, o que aumentou a densidade populacional e atrapalhou o planejamento urbano. “Mas por PRE$$ÃO DA$ CON$TRUTORA$… PRE$$$$$$$$ÃOOOOO. $$$$$$$$$$$$$. Muita propina envolvida nisso aí!

    Curtir

  3. Hoje é linda, apertada e mal elaborada. … Centenas de famílias foram arrancadas de suas chácaras produtivas, para satisfação de construtoras, políticos populistas e filhotes da burguesia do Plano Piloto… Arrancaram chácaras que por mais de 50 anos produziam e pagaram valores muito abaixo. Hoje um apartamento kit Net lá vale mais que a indenizaçao paga na época a família de produtores. Alguns morreram de tristeza por deixar seu chão.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s