O primeiro túmulo do Campo da Esperança

O Campo da Esperança da Asa Sul é um dos seis cemitérios do Distrito Federal e foi o primeiro a ficar pronto, antes mesmo da inauguração da cidade. Mas, por uma estranha coincidência, o cemitério teve seu início com o enterro da pessoa que o construiu: o engenheiro Bernardo Sayão.

Sayão: um dos diretores da Novacap

Sayão era um diretores da Novacap e foi peça-chave para que Brasília desse certo. Ele era o responsável pela infraestrutura da capital: redes de água, luz, esgoto, estradas e muito mais. E também era quem chefiava as obras da rodovia Belém-Brasília, que ligou a região Norte ao resto do país.

No dia 15 de janeiro de 1959, um acidente na Belém-Brasília entrou para a história da capital. Uma árvore gigantesca foi derrubada para o lado errado e atingiu em cheio a barraca onde Bernardo Sayão estava. O engenheiro ainda chegou a ser socorrido, mas morreu horas depois. Ele tinha 59 anos.

Enterro de Bernardo Sayão: o único dia em que as obras de Brasília pararam

Sayão era muito querido por todos os candangos e o dia do seu enterro foi o único em que a construção de Brasília parou. Milhares de pessoas foram até a Igrejinha Nossa Senhora de Fátima, onde o corpo foi velado, e, depois, ao cemitério prestar as últimas homenagens. Do presidente JK ao mais humilde operário, todos choraram aquela perda.

Juscelino Kubitschek, Israel Pinheiro e outras autoridades carregaram o caixão do engenheiro Sayão

Quando Bernardo Sayão estava delimitando o terreno do Campo da Esperança, ele havia comentado com um colega: Quem vai ser o infeliz que vai inaugurar esse cemitério? Foi ele mesmo.

Túmulo de Bernardo Sayão na Ala dos Pioneiros do Campo da Esperança

Veja o vídeo:

3 comentários em “O primeiro túmulo do Campo da Esperança

  1. Meu pai era muito amigo dele, assim como da família “Sayão”. E foi exato o meu pai (Daniel) que projetou e fez o túmulo do Bernardo Sayão. Eu pretendo ainda registrar esse fato na história. Pois o meu pai, foi a pessoa que fez o primeiro túmulo do cemitério campo da esperança.

    Sou candango, nascido em Taguatinga,
    convivi com seus familiares. Dona Hilda (esposa), Bernardo (filho), Marisa (nora), Renata (neta), Bernardinho (neto), e outros: Fernando, Léa, ….
    Bernardo foi a pessoa que me ajudou no primeiro emprego, fiz estágio na Caixa Econômica e depois fui um dos primeiros contratados da empresa que veio para Brasília para prestar serviço na CEF “POLITEC”.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s