Paradas de ônibus e JCDecaux: lado a lado por todo o DF

Tudo em Brasília respira arquitetura. Inclusive nossas paradas de ônibus, que foram projetadas por arquitetos renomados, muitos deles presentes na construção da capital. São 13 modelos diferentes espalhados pelo DF, criados entre 1961 e 1996 por profissionais como Oscar Niemeyer, João Filgueiras Lima (Lelé) e RR Roberto. O mais icônico, sem dúvida, é o modelo da “janelinha” desenhado por Sabino Barroso em 1961 e que já se tornou um símbolo da capital.

Parada de ônibus projetada por Oscar Niemeyer em 1969
Icônica parada criada por Sabino Barroso em 1961. As janelinhas foram pensadas
para ter telas com o trajeto dos ônibus. Mas isso nunca aconteceu na prática

Outro elemento comum, que vemos sempre ao lado das paradas, são os painéis de propaganda. Eles também foram inventados na década de 60, mas pelo francês Jean-Claude Decaux, fundador da JC Decaux e criador dos mobiliários urbanos (MUB), que são os objetos de publicidade espalhados pelas ruas. Os MUBs contribuem não só com a mobilidade, qualidade e visibilidade, mas sobretudo com a estética urbana brasiliense, integrando-se ao ambiente e cultura local. É a junção do belo ao útil.   

Alguns dos modelos mais populares e bonitos em nossa capital são o Modelo 2001 e o Grimshaw. O primeiro deles é de criação do designer francês Jean Piantanida e tem em seu conceito a simplicidade, facilidade de manutenção e alta resistência às agressões por poluição e vandalismo. Seu design com aspecto curvo tem um conceito de nobreza, mas que não representa um obstáculo visual para a paisagem da cidade.

Modelo 2001, criação francesa com design curvo

O segundo e mais moderno dos abrigos de ônibus leva o nome de seu idealizador, o inglês Nicholas Grimshaw, que buscou uma linha estética que correspondesse à evolução das tendências dos últimos anos sobre o mobiliário urbano. O Grimshaw é adaptável a inúmeras paisagens e seu design traduziu-se em um equipamento de grande qualidade estética, cujo traçado lhe permite estar em espaços mais modernos como grandes avenidas e ruas principais.

Modelo Grimshaw criado na Inglaterra

Com projetos mobiliários de mais de 50 arquitetos e designers de renome mundial, a JC Decaux tem no design um de seus principais valores. Ela é, atualmente, a maior do mundo no segmento, presente em mais de 80 países e 3.891 cidades. E está, desde 2015, por todo o Distrito Federal. Você certamente já passou por algum deles.

Mobiliário no Eixinho Sul
André Timóteo, head comercial da JC Decaux em Brasília.
Além dos painéis das ruas, a empresa comercializa vários espaços no Aeroporto de Brasília

A maior parte da divulgação nos painéis são de empresas de Brasília

4 comentários em “Paradas de ônibus e JCDecaux: lado a lado por todo o DF

  1. Eu ainda prefiro as paradas de ônibus criadas por Sabino Barroso, em 1961. São mais clássicas, robustas e mais resistentes aos vândalos e às tempéries do tempo!

    Curtir

  2. Verdade. As paradas de janelinha são muito mais confortáveis e abrigam mais pessoas. Essas de vidro deixam passar o sol, os assentos ficam como chapas de fogão e quando chove não protegem ninguém. Caras e incômodas.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s