Parque da Cidade: no coração de Brasília

No início da década de 70, Brasília estava passando por grande expansão urbana e habitacional. A cidade crescia cada vez mais e precisava de equipamentos públicos à altura daquele novo momento. Foi então que o governador Elmo Serejo Farias decidiu criar um parque na Asa Sul para oferecer lazer e entretenimento à população, servindo também, por ser um local bastante arborizado, para amenizar os efeitos da seca e do calor do Cerrado.

Local de construção do futuro parque em 1973

Nascia, então, o Parque da Cidade, inaugurado no dia 11 de outubro de 1978 com o nome de Rogério Pithon Farias, homenagem ao filho do governador que havia morrido em um acidente de carro há pouco tempo. O projeto urbanístico foi feito por Lucio Costa, com prédios dos arquitetos Oscar Niemeyer e Glauco Campelo, azulejos de Athos Bulcão e paisagismo de Burle Marx.

Jornalistas e autoridades visitam as obras do parque em 1974
Praça das Fontes no dia da inauguração do parque em 1978

A abertura do parque foi um grande evento na cidade, atraindo milhares de pessoas para a Praça das Fontes – onde aconteceram espetáculos musicais – e para a Piscina com Ondas, a primeira do gênero na América Latina e que contava com um equipamento para simular ondas com cerca de 1 metro de altura. Um grande sucesso que atraía multidões todos os fins de semana.

A Piscina com Ondas foi a grande atração do Parque da Cidade por muitos anos

Ao longo dos anos, o parque se estabeleceu como o principal ponto de encontro de brasilienses de todas as idades, contando com quadras poliesportivas, lagos artificiais, pistas de corrida, pedalinhos, centro hípico, kartódromo, bicicletas para alugar e várias outras comodidades. Seus 420 hectares de área verde – considerado o maior parque urbano da América do Sul – já era parte definitiva do cotidiano candango.

Também é importante lembrar que o local incorporou dois outros parques que já existiam por ali antes de 1978: o Parque Ana Lídia, onde fica o famoso Foguetinho, e o Nicolândia, o primeiro parque de diversões de Brasília.

O Parque Ana Lídia já funcionava no local desde 1969

Nos anos 80, o Parque da Cidade ficou nacionalmente famoso com a música “Eduardo e Mônica”, da banda Legião Urbana, pois fora o lugar escolhido como ponto de encontro do casal na história. Há no parque, inclusive, um monumento em homenagem à canção com sua partitura gravada em uma escultura de ferro.

Praça Eduardo e Mônica com monumento de autoria da artista plástica Mara Mendes

Já em 1997 houve uma mudança de nome: de Rogério Pithon Farias para Sarah Kubitschek. Ano que marcou, também, o fim da Piscina com Ondas.

Recentemente, o parque passou por reformas para ampliar a acessibilidade, aumentar o número de pistas e ciclovias e recuperar as quadras de esportes. E já foi anunciada pelo GDF a volta da Piscina com Ondas, totalmente reformulada e com novas atrações.

O parque é, atualmente, uma das grandes opções de lazer para o brasiliense

O Parque da Cidade é um sucesso há quase 45 anos e uma prova de que a memória afetiva do morador de Brasília consegue conviver em harmonia com as necessidades e mudanças dos tempos modernos.

Um comentário em “Parque da Cidade: no coração de Brasília

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s