Pioneiros árabes de Brasília

Dezenas de famílias descendentes de árabes, sírios e libaneses vieram para nossa capital em busca de novas oportunidades. E fizeram história por aqui. Muitos de seus sobrenomes estão até hoje pelos prédios e estabelecimentos da cidade. Conheça alguns:

Em 1957, os irmãos José e Edmon Baracat chegaram em Brasília, vindos do interior de São Paulo. No início dos anos 1960, abriram uma loja de eletrodomésticos, o Magazine Itabráz. Na década seguinte, partiram para o ramo da construção civil e ergueram o Brasília Rádio Center, na Asa Norte; o edifício Baracat, no Setor Comercial Sul; e o Conjunto Baracat, no Conic.

Na mesma época, compraram um terreno para construir um shopping center, que seria o segundo da cidade (o Conjunto Nacional havia sido inaugurado em 1971). Mas a obra ficou embargada por quase vinte anos e só foi inaugurada em 1997: o Shopping Pátio Brasil.

Edifício Baracat, no Setor Comercial Sul

Outra família que fez história veio de Anápolis, uma cidade que recebeu forte imigração
árabe a partir do século XIX. O patriarca Abdala Carim Nabut chegou em Brasília para transportar combustível, ainda antes da inauguração da cidade. Anos depois, a família passou a investir na construção civil e ergueu alguns dos primeiros cinemas de Brasília: o Cine Karim, na Asa Sul; o Cine Márcia, no Conjunto Nacional e várias outras salas pela cidade.

Carim Nabut e seu caminhão durante a construção da cidade


Também de Anápolis veio William Habib Naoum para fundar um dos hotéis mais
tradicionais de Brasília: o Naoum Plaza.

Hotel Naoum Plaza

Já o paulista Salim Bittar chegou por aqui em 1970 e construiu um dos primeiros hotéis do Setor Hoteleiro Sul, que não tinha quase nada naquela época: o Phenícia. Atualmente, a família Bittar é dona de uma rede com seis hotéis, todos na capital.

Salim Bittar, pioneiro no Setor Hoteleiro Sul

Nos anos 1950, os imigrantes sírios Munia e Aziz Abdalla Jarjour moravam em Belo Horizonte quando souberam da construção da nova capital do Brasil no Planalto Central. Chegaram em Brasília em 1958 e, no ano seguinte, fundaram o Café Arábia, o primeiro café fabricado na capital.

Com o passar dos anos, seus filhos seguiram com sucesso em outros ramos empresariais, como os Postos Jarjour (combustíveis) e Jarjour Empreendimentos (produtos imobiliários).

Munia e Aziz Jarjour, fundadores do Café Arábia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s